O INCT-Herbário Virtual da Flora e dos Fungos (INCT-HVFF) recebeu recursos do programa REFLORA do CNPq, entre 2010 a 2015, com o objetivo de aumentar a base informacional sobre plantas e fungos do Brasil registrados em herbários do exterior, disponível via speciesLink, de forma livre e aberta. O projeto teve como objetivos específicos:

  • Estabelecer um mecanismo de repatriamento dinâmico de dados textuais atualizados sobre as amostras coletadas no Brasil depositadas em herbários no exterior e disponibilizá-los na Internet, de forma livre e aberta;

  • Estabelecer um servidor de imagens e serviços web associados, para armazenar e gerenciar as imagens em alta resolução das amostras do material tipo depositado em herbários brasileiros e disponibilizá-las via internet a todos os interessados assim como via serviços web para que pudessem ser utilizados por outros sistemas de informação externos;

  • Desenvolver um modelo de sala aberta à visitação pública.

 

No início do projeto a rede speciesLink, infraestrutura informacional do INCT-HVFF, repatriava dados dos jardins botânicos do Missouri (MOBOT) e de Nova Iorque (NY) e compartilhando do MOBOT 196 mil e de NY 260 mil registros de ocorrência de espécimes do Brasil. Não havia, porém, qualquer compartilhamento de imagens das exsicatas cujos dados estavam integrados à rede.

Fig 1 reflora.png

 

 

Foi estabelecido então um servidor de imagens e serviços web associados e graças à articulação do INCT-HVFF com coleções dos Estados Unidos e Europa, no período do projeto foram repatriados dados de 17 herbários: 12 dos Estados Unidos e 5 da Europa. No final do projeto INCT-Reflora mais de 1 milhão de imagens associadas a mais de 700 mil registros estavam integrados.

 

 

O INCT-HVFF deu continuidade a essa ação e hoje disponibiliza mais de 4 milhões de imagens associadas a 3,7 milhões de registros textuais, sendo cerca de 1,9 milhões dos registros de 20 herbários do exterior. Considerando o número total de registros do herbário virtual que chega a 10,5 milhões, 4,9 milhões referem-se a depósitos em herbários parceiros do exterior, sendo que cerca de um terço dos registros já apresenta no mínimo uma imagem associada.

A evolução na disponibilidade de dados e imagens do INCT-Herbário Virtual também tem como resultado o aumento no uso dessa informação. A partir de outubro de 2012 foi disponibilizado um indicador do uso dos dados. No ano de 2013 o INCT registrou um uso de cerca de 298 milhões de registros, o que representa cerca de 815 mil registros utilizados por dia. Ao realizar uma busca na rede speciesLink, o sistema armazena o número de registros que foram recuperados para atender às várias demandas do usuário: produção de mapas, produção de gráficos, visualização em formato de lista, análise da ficha completa do espécime, ou ainda, baixando os dados (download) para uso posterior em seus sistemas pessoais. À soma de todos os registros utilizados dessas diferentes formas, denominamos “registros utilizados”. No final do projeto INCT-Reflora, em 2015, o uso foi de 385.469.166, ou seja, uma média superior a 1 milhão de registros utilizados por dia.

fig 2 reflora.png
Fig 3 Reflora.png

O mesmo conceito se aplica às imagens. O sistema também armazena o número de imagens visualizadas através das ferramentas especificas disponíveis. No ano de 2013 foram visualizadas 550 mil imagens, o que equivale a 1,5 mil imagens visualizadas por dia. Esses números, no final do apoio do projeto em 2015, equivalem a 8,5 mil imagens visualizadas por dia. Os indicadores de uso do ano de 2019 foram de cerca de 1,5 milhão de registros e 10,5 mil imagens utilizadas por dia, o que comprova a evolução tanto do conteúdo quanto do seu uso.

Convém salientar que a adesão de outros herbários do país e do exterior à rede, e o esforço que vem sendo feito pelos curadores para inclusão de imagens está contribuindo de forma significativa para melhorar a qualidade dos dados e informações disponibilizadas, via speciesLink, pelo INCT-Herbário Virtual.

Em relação ao objetivo do INCT-Reflora de desenvolver um modelo de sala aberta à visitação pública, este foi também alcançado, sendo uma sala instalada em prédio do Centro de Biociências da UFPE (https://www.youtube.com/watch?v=arvSf5NQ7lI).

Fig 4 reflora.png