(LAG) Herbário Anita Garibaldi

O Herbário Anita Garibaldi foi nomeado em homenagem à “heroína dos dois mundos”, ilustre figura histórica do estado de Santa Catarina e da cidade de Laguna. Sua sigla, LAG, também é uma alusão ao nome dessa cidade que é a sede do Centro de Ensino Superior da Região Sul, da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC-CERES), instituição à qual o herbário está vinculado. A planta símbolo do Herbário LAG é a mesma que a da cidade de Laguna, o butiá (Butia catarinensis Noblick & Lorenzi). Trata-se de uma espécie endêmica das restingas de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, de grande importância ecológica e econômica, devido ao consumo de seus frutos in natura ou em outras preparações como sucos e sorvetes. O município de Laguna está localizado no litoral sul catarinense e abriga grande diversidade de formações vegetais, as quais vão desde florestas ombrófilas, restingas herbáceas a arbóreas, vegetação de costões rochosos, até manguezais, marismas e outros tipos de vegetação aquática. Além disso, está em uma área de transição entre os climas tropical e subtropical, o que a torna muito interessante do ponto de vista biogeográfico. Diante disso, a criação do LAG tem o potencial de impulsionar os estudos da vegetação da região, ainda incipientes. O cadastramento do Herbário LAG no Index Herbariorum ocorreu em setembro de 2019. Logo em seguida foi cadastrado no Sistema de Gerenciamento de Coleções Botânicas do JBRJ, o Jabot. Em 2021, foi formalizado na UDESC-Laguna e adicionado à Rede Brasileira de Herbários, ao INCT-HVFF e à Rede speciesLink. Esperamos que o LAG seja representativo não somente da flora regional, mas também de outras localidades e de grupos abrangentes como as gramíneas e as leguminosas, especialidades do curador e da vice-curadora da coleção, o Prof. Dr. Christian da Silva e a Profa. Dra. Cristiane Snak. Estamos abertos a visitações de estudantes de graduação, pós-graduação e pesquisadores, assim como da comunidade em geral em ações de extensão (moradores locais, turistas, escolas de ensino básico, dentre outros). Doações e permutas são bem vindas e empréstimos serão concedidos entre herbários. Também temos interesse em parcerias com empresas (e.g. consultoria ambiental), fundações e órgãos públicos que possam gerar recursos para melhorias e manutenção da coleção.